O Bom contra o Bem – Um monólogo sobre Nós.

Um pouco de sol tocou o rosto dele pela manhã. Este não era mais um dia do ano, era o dia em que ele escolheu ver Opostospor que ele era bom.

Ser bom era muito difícil, mas uma vez por ano ele retirava a carapaça negra, e deixava a luz tomar sua alma para tentar compreender os motivos que valiam as argúrias de ser bom.

Dias atribulados, muita ansiedade, depressão por não encontrar a solução de seus problemas, e principalmente o peso de carregar seus desejos antes dos seus deveres. Pensar no que ele quer ao invés do que ele precisa.

Neste dia, ele vestiu uma roupa quente demais para o momento, mas teve certeza que com aquela indumentária todos o respeitariam. Ele queria ser somente bom, mas ter também as regalias e o respeito de quem estava à sua volta.

Chegando no ponto de encontro, todos o incomodavam, ninguém era perfeito como ele inclusive quem tentava ser bom, mas para ser um cidadão respeitável, ele aceitou os seres falhos.

Na saída, quando ver quem tentava ser bom estava quase estragando o seu dia, ele percebeu que todos a sua volta não eram bons, mas eram de bem.

Fazer o bem os agradava e o sentimento de compleição era tamanho que mesmo sendo maus ao longo do ano uns aos outros, o bem fazia parte de seus corações ainda amolecidos de bondade.

O bem estava lá e aquilo incomodava.

"Por que preciso ver isso?" - Perguntava-se. "Qual a necessidade de ter o bem se sou o bom?"

Ninguém o compreendia. Nem ele mesmo.

A sua dificuldade era pensar em si mesmo como uma pequena parte de um enorme mecanismo, a humanidade. Alguns parafusos falham, mas voltam a sustentar as engrenagens vitais das quais fazem parte.

Ele era uma engrenagem. Importante para todos, mas não enxergava o todo. Ele pensava que todos existiam para servi-lo, e ele girava. Os outros o suportavam, e ele girava. Os parafusos falhavam, e ele girava.

Como engrenagem ele era bom, ele funcionava.

O problema para ele era entender que tudo não dependia dele, mas sim das peças de bem que eram o sustentáculo de cada um dos seus giros.

No fim do seu dia de ser bom, ele teve certeza que precisaria ser bom todos os dias, por que ninguém servia para isso. Ele era demais, os outros somente peças falhas.

Terminando o dia, mais uma vez, ele não percebeu que fazer o bem é servir de algo maior que você mesmo, mas que você é essencial para que a engenhosidade do mecanismo funcione.

Ser Bom é ser melhor que os outros, fazer o bem é não se importar consigo e doar-se para os bons.

Atualmente todos buscam ser os bons para o status de ser referência.

Prefiro os de bem que Fazem Acontecer a referência.

opostosAR

Nenhum comentário: