O Vazio Profundo da Mente Confusa

Cheguei novamente a uma conclusão devastadora para minha alma. Sou um ermitão.

Gosto do prazer de sentir idéias novas aflorarem em minha mente, sempre desordenadas e com quantidade, intensas e muitas vezes desconexas da realidade, mas sempre com qualidade argumentativa. Passo horas discutindo comigo mesmo.

Realidades alternativas, histórias fantásticas, personagens de ficção mais reais que as pessoas com que converso todos os dias… Soluções para o insolucionável, razão para a sensação… Tudo passa por mim com se eu fosse possuído pelo desejo e pela volúpia do tudo saber. Uma criança que responde a tudo, somente usando a imaginação.

…tudo devido a solidão…

O prazer de poder pensar em silêncio hoje foi abalroado pela pura verdade, estou disposto a entregar tudo isso por amor.

Como alguém em um filme de ação, ou comédias pastelões da “Sessão da Tarde” pode emocionar-se com cenas manjadas? Sensação pura de vazio… quem se ama não está ao lado.

Para que vencer? Por que existir…?

este texto é mais um lapso do espaço tempo…. palavras jogadas ao vento que causarão reflexos e nunca mais voltarão de onde vieram… da fossa abissal da minha alma, sozinha, fria e dura.

Pouco será entendido aqui, e assim deve ser; quem entende compreende e empreende ao futuro – quem escreve, descreve de leve onde esteve no aclive que teve.

Do que são feitos os Heróis – eu perguntareis.
Minha resposta mais objetiva?
…De nós…

mesmo no vazio de não sermos com quem gostamos

Nenhum comentário: