Lógico, exato e imprecisamente humano

O emocional e o racional vivem em uma eterna constante onde ambos brigam por espaço e com a experiência provam a necessidade de um viver do outro.

Eu parei hoje para pensar sobre a ciência das cores, como elas são compostas, seus tipos intensidade, tonalidade, brilho e a geometria necessária para o equilibrio perfeito entre elas. Cores complementares análogas, tríades. Não podemos esquecer o lado físico destes feixes luminosos. Ondas que viajam através do espaço e que com determinado comprimento de onda e frequência são percebidos pelos cones e bastonetes, células especializadas na biologia humana para transformar estes estímulos em impulsos elétricos para serem compreendidos pelo nosso cérebro e sistema nervoso.

Tudo preciso. Nanométrico.

A não ser pelo fato que as cores causam sentimentos. Alegria, tristeza, melancolia, fome e tantos outras sensações quanto o homem pode conhecer ou sentir. Existem diversos estudos em que pessoas determinam o peso das cores. Uma cor “pesa” mais do que outra para todos nós.

Sempre impreciso. Imensurável.

Você pode ser adepto da lógica ou da emoção, mas ninguém pode negar uma situação. Nos completamos até na lógica irracional de teorizar uma sensação.

Todos que já amaram, tentaram entender o amor. Existe loucura mais sã do que essa?

A imprecisão é o que eu preciso para equilibrar o meu mundo.

Nenhum comentário: