Erre sabendo

Os conceitos que conhecemos muitas vezes confundem-se, e palavras ou idéias que são claras ganham um novo sentido, muitas vezes mágico. Isso é poesia.
Enquanto estudante do curso médio e fundamental, nas aulas de redação e literatura, muitas vezes lidamos com a licença poética de escritores e, como jovens indagadores, nos perguntamos: "-Por que este autor pode escrever isto, desta forma, e eu não?". A resposta das professoras gira em torno da habilidade do escritor em definir a sua estética textual. E agora, após um bom tempo, passo a entender o que as professoras queriam dizer. Vivemos intensamente esta experiência todos os dias.
Um exemplo fácil de entender está ligado a sabedoria; o “saber” conecta-se automaticamente ao que chamamos de “certo”. Quem sabe, faz de forma correta.
Porém, por diversas vezes fazemos algo que sabemos ser certo, e o resultado é um fiasco ou desastroso.
Somos poetas de nossas vidas e temos o direito de não saber, e fazer certo ou saber e fazer errado.
Somos designers de novos dias, lindas noites e tardes aconchegantes.
Nossa estética é livre. Crie em sua vida!
O novo assusta, sai errado e muitas vezes é incômodo, mas ele movimenta as engrenagens da vida. Quem não cria, cai no ostracismo e passa a deixar o tempo passar, ao invés de viver.
Somos poetas, arquitetos, pintores.

Somos humanos.
Use sua sabedoria para errar da melhor forma possível.

Nenhum comentário: